Moderno, confortável e com o seu jeito! Um jeito rápido e fácil de mudar seu guarda-roupa!

Vai viajar com o bebê? Veja o que levar

IMG_0992

 

Vocês resolvem passar um final de semana na praia ou no interior e de repente surge aquela duvida: “O que levar na mala do bebê?”.

Confira as dicas que o TIMO preparou!

Roupas: Tudo em dobro! Levar, ao menos, uma quantidade equivalente a duas trocas de peça por dia. Vale ainda colocar roupinhas que sejam opostas ao clima, ou seja, se está muito quente um conjunto de frio na mala é uma boa pedida e vice e versa.

Higiene: A média de troca costuma ser de 6 a 8 fraldas por dia, mas se esticar a viagem, o ideal, para economizar espaço na mala é verificar se no local existe algum estabelecimento que você possa comprar o produto.

Trocadores portáteis também são interessantes para viagens, afinal, não são todos os lugares que disponibilizam um espaço para trocar os pequenos.

Não esqueça: Toalhas, algodões, cotonetes, sabonete, shampoo, lenços umedecidos e pomada para assaduras.

Farmacinha: Termômetro, antitérmico, antigases e antialérgico.

Diversão: Leve de 1 a 3 brinquedos para seu filho, eles servem para ele se distrair durante o percurso até chegarem ao destino.

Bolsa: Para carregar as coisas do bebê quando se locomoverem é recomendável uma bolsa impermeável (Aquela que usamos para sair da maternidade é a mais indicada).

Programação: Comece a organizar as coisas dias antes de viajar. Conforme for arrumando as malas, você vai acabar se lembrando de peças que ainda faltam!

Identificação: Não esqueça os seus documentos e muito menos os do bebê! (Aconselha-se retirar o RG da criança, mesmo que ainda não alfabetizada).

Essas foram algumas dicas do que não pode faltar na bagagem do filhote durante o passeio. Você pode adequá-las de acordo com a sua necessidade!

 

Tornar-se pai

Pai e filho

 

Ser pai é um momento de descoberta. Diferentemente das mulheres, os papais não engravidam, não sentem as dores do parto e não amamentam, porém isso não faz com que o amor deles seja menor.

É importante que se preparem desde a concepção para que naveguem junto com as mães nessa aventura e universo de novas sensações que trás a gestação. O homem, assim como a mulher, não nasce pai, se torna pai, portanto buscar estreitar os laços com seu filho antes mesmo do nascimento é essencial para a relação de vocês.

Atualmente existem cursos preparatórios durante a gravidez que os pais podem ir com suas as parceiras e aprenderem pontos para sentirem os bebês se movimentando dentro da barriga.

Dicas para os papais:

Gravidez: Não entre em pânico quando descobrirem que estão esperando um filho, conversem, planejem e estabeleçam uma relação saudável entre vocês para não prejudicar a criança.

Nascimento: Quando o médico lhe mostrar o rostinho do seu filhote, não tenha medo da fragilidade, nem fique paranoico. É importante que você seja o ponto de referencia em tranquilidade para a mãe e o bebê.

Cuidados: Tenha sempre os telefones do pediatra ou hospital que seu filho passa, caso ocorra algo, isso facilita a comunicação.

Desabafe: Converse com a esposa, amigos e família sobre sua experiência e como tem encarado essa nova fase da sua vida.

Seja presente: Os pais costumam servir de modelo para os filhos. Fazer parte do crescimento, apoia-los e dialogar com eles é fundamental para a criação de uma estrutura familiar estável.

Se doe: Aproveite seu pequeno, ame, brinque, se divirta com ele. Ser pai é algo único e quem aproveita carrega boas lembranças para sempre.

Estrias na gravidez, como lidar?

IMG_2661

O pavor de muitas mulheres durante a gestação é o surgimento das temidas estrias, porém se alguns cuidados prévios forem tomados elas podem ser amenizadas ou evitadas. Vale lembrar que as estrias estão ligadas a fatores hereditários, ou seja, se sua mãe e avó as tiveram durante a gravidez é provável que você também venha a ter.

Confira algumas dicas para ficar longe das vilãs do corpo feminino:

Primeiramente, o que são estrias?

– São cicatrizes que aparecem devido ao rompimento da fibra elástica e do colágeno ocasionadas pelo estiramento rápido da pele e mudanças hormonais nesse período.

Como preveni-las?

– Use e abuse dos cremes recomendados pelo seu médico. Como a pele fica muito ressecada isso aumenta as chances do surgimento das estrias, os hidratantes e principalmente os óleos vegetais colaboram para que ela suporte o crescimento repentino.

Predisposição?

– As mulheres que estão mais propensas ao surgimento das estrias, podem diminuir o rompimento da pele, mas não evita-lo, porém o tratamento com amêndoas continua a ser essencial.

Pode passar cremes/óleos nos seio?

– Os seios também sofrem com o surgimento das estrias, os cremes podem ser passados nessa região, mas é importante evitar os mamilos, pois estão se preparando para amamentação.

Questão de peso!

– O ganho de peso é outro fator que colabora com o surgimento das estrias, por isso é indicado pela OMS que as mamães engordem de 12 a 13 quilos durante os 9 meses.

Roupas!

Use roupas confortáveis e que não incomodem durante a gestação, evite também, coçar as regiões do abdômen, seios e pernas.

Crescer e brincar

Diversão

 

Jogos são atividades lúdicas, que estimulam o pensamento, aguçam a curiosidade e desenvolvem a capacidade cognitiva. Eles colaboram, ainda, para que a criança expresse desejos, imaginação e experiências reais simbolicamente.

Por ser uma atividade distante de interesse material ou geração de lucro, os jogos infantis, praticados dentro dos limites, proporcionam a formação de grupos sociais, ajudando a criança a se enturmar em novos ambientes.

Quando pequenas tudo para elas é diversão, desde brincadeiras simples como “vivo-morto”  ou pique-esconde até as mais livres que inventam no momento, ao seu jeito, transmitindo sentimentos, fantasias e ideias. Brincar estimula o raciocínio, o tato para novas descobertas e sensações como paciência, persistência e perseverança.

As crianças que participam de atividades que as desafiam aprendem que perder é algo normal e percebem que sempre há novas chances de se ganhar.

Lembre-se: Para que seja uma experiência prazerosa e divertida, a iniciativa de jogar deve partir dos próprios pequenos.

 

 

 

Quando o bebê deixa de mamar

 

7a

Nos seis primeiros meses de vida o leite materno deve ser o único alimento do bebê, porém depois desse tempo o corpo passa a exigir nutrientes que o leite sozinho não supre. É pouco antes dos pequenos chegarem ao sexto mês que os pediatras passam a recomendar outros alimentos como as frutas amassadinhas e a papinha.  Esse momento é novidade na vida das crianças, por isso se deve escolher bem o que oferecer a elas.

Quando o bebê está pronto para receber a primeira refeição, alguns detalhes podem ser notados, alguns deles são:

Interesse pela comida de outras pessoas;

Conseguir fazer movimentos com a boca, como se mastigasse;

Permanecer com fome, mesmo, após mamar bastante ou tomar uma boa quantidade de fórmula;

Não coloca a língua para fora quando você tenta alimentá-lo com uma colher;

Recolhe o lábio inferior quando é alimentado e não empurra o alimento para fora;

Mantem cabeça e corpo retos sozinho ou com pouco apoio;

Outras dicas…

Leite Integral: É aconselhável que o leite integral não seja oferecido ao bebê antes do primeiro ano.

Papinhas: Não bata a papinha no liquidificador. Ele tritura totalmente o ingrediente, diminuindo suas proteínas. Pede-se para que a papinha seja pastosa e não totalmente liquida, ou seja, é necessário que você peneire, raspe, esprema ou amasse os alimentos manualmente.

Mamadas: Nessa fase a média é de 4 mamadas para 2 papas.

Outros líquidos: Sucos e águas devem ser dados em copos, para que o bebê não confunda os bicos, (seio e mamadeira), dê até 100 mililitros por dia.

Crianças digitais: Cuidados

 

 

MaisCom as novas tecnologias em ascensão, é cada vez mais difícil impedir que crianças interajam com elas, porém cabe aos pais controlarem o acesso a determinadas informações. Pesquisas apontam que ao ver vídeos infantis em canais, como o Youtube, elas ficam de dois a quatro cliques de conteúdos adultos. As redes sociais também são outro impasse, com muitos jogos disponíveis, são atrativas e o papel da família, nesse caso, é monitorar quem são as pessoas que fazem parte do círculo de amigos dos pequenos.

Orientá-los quanto aos perigos da internet é essencial para que sejam usuários responsáveis. Apresentar a eles sites com conteúdos interativos e lúdicos colabora com o desenvolvimento cultural, perceptivo e o torna mais curioso.

Plataformas digitais como jogos de perguntas, bilíngues, programas animados e livros são as ferramentas mais indicadas para a iniciação da criança nos computadores, pois além de serem divertidas e educativas essas atividades exigem atenção para que sejam realizadas.

Lembre-se!

Instale um programa antivírus em seus aparelhos, isso evita que as maquinas sejam danificadas.

Atualmente existem programas “espião”, sua utilidade é monitorar os conteúdos gerados a partir do seu computador, se as crianças o utilizam com frequência, vale a pena instalá-lo.

 

Era Digital e as Crianças

Bebe PC

Com o avanço tecnológico os meios de informação já não são como antes. Radio e televisão passaram a ser, apenas, mais uma opção para o consumo de noticias e entretenimento. Computadores, celulares e agora os tablets são introduzidos cada vez mais cedo na vida das pessoas, incluindo as crianças. Falando nelas, atualmente muitos estudos comprovam que com o tempo administrado da maneira correta, o publico infantil só tem a ganhar com o uso dessas ferramentas.

O ideal é que os pais proporcionem atividades condizentes com a idade dos pequenos, com a quantidade de conteúdos gerados diariamente na web é necessário que eles escolham o que os filhos jogam e leem, colaborando para que desenvolvam maneiras de explorar seu intelecto e construam valores humanos e éticos, ou seja, monitorar o que seu filho acessa é essencial para que a internet seja mais um passo na construção de seu caráter.

Educação e tecnologia são campos que se relacionam, por isso é essencial que haja não apenas a introdução dos computadores nas salas de aulas, mas também a contextualização desse processo no dia a dia delas.

As crianças de hoje serão o futuro de amanhã, por isso conecta-las e acostuma-las a esse universo funciona como uma escada na formação de cidadãos incluídos digitalmente.